domingo, 26 de agosto de 2012

12 - Viajar de moto

12.1 - Viajar de Moto é...  
 (By Michel Weber)
  
        “É poder transitar além da monotonia do cotidiano e viver cada momento, intensamente.
         É ser como os libertos, os que não se submetem às filas de espera, os que se apartam da unanimidade da multidão.
         É viver livre da mesquinhez, da pobreza de espírito, da satisfação estereotipada dos parvos e da submissão alienada das massas.
         Viajar de moto, todavia, é uma paixão com risco calculado de gosto e sabor específicos, que consagra as pessoas que não vivem escondidas e nem com medo da vida.
         É o desprezo pelo banal, pelo cômodo e pelo superficial.
         É o estado de espírito dos que buscam a estrada com a cara no vento, vivendo e sentido o mundo passar, junto com o sol, a chuva, o dia ou a noite, sem se esconder de nada e nem de ninguém.
         Entender o que é viajar de moto, para os medíocres, permanecerá inacessível, para os iluminados, estará aguardando de braços abertos.
Rio de Janeiro, 2005.
PHD Artur Albuquerque


12.2 - Algumas Dicas pra quem anda de moto !!!!
 1. Pense que ninguém te vê
Porque para a maioria dos motoristas, você é invisível, mesmo! Nunca faça um movimento imaginando que o outro motorista está vendo você, mesmo que você tenha acabado de ver seus olhos. Motos muitas vezes não fazem parte das cabeças de quatro
rodas.

2. Seja paciente
As conseqüências de encarar um erro ou uma disputa no trânsito começam mal e sempre acabam PIOR. Finja que foi a sua mãe que fez aquela barbeiragem e perdoe a
falha.

3. Ponha roupas para encarar um acidente, não uma piscina ou uma festinha de verão
Com certeza, a padaria do bairro é uma viagem de 5 minutos, mas ninguém está planejando comer asfalto, está? As roupas modernas de tecidos ventilados significam que 40 graus à sombra não são desculpa para camisetinhas e shortinhos de surfista (aliás, você sabe pegar onda, por acaso?
)

4. Espere o melhor, mas esteja preparado para o pior
Esteja pronto para uma fechada, para uma surpresa que nunca deve ser inesperada. Não existe “apareceu de repente”, “veio do nada” ou “eu achei que ele ia…
.

5. Deixe seu ego em casa
As únicas pessoas realmente interessadas em saber se você estava mais rápido que o outro na avenida são o policial e o Detran.

6. Preste atenção no que está fazendo
Tem um ônibus na sua frente parando de repente para um tiozinho que fez sinal em cima da hora. Se ligue!

7. Espelhos mostram só uma parte do ambiente
Nunca mude de direção ou de faixa sem olhar para trás para confirmar que você realmente pode virar ou mudar de
faixa.

8. Seja paciente
Espere mais um ou dois segundos antes de entrar na pista, começar a andar ou sair para ultrapassar. Você é pego pelo que NÃO VIU! Aquela olhadinha a mais vai salvar sua
pele.

9. Preste atenção na diferença de velocidade
Passar por carros ao dobro de sua velocidade ou mudar de pista para passar por um monte de carros parados é somente um jeito mais rápido de conhecer São Pedro (e se você tiver acumulado méritos para conhecê-lo!).

10. Cuidado com a calçada
Um monte de surpresas acaba chegando das calçadas: sacos com objetos dentro, pregos, antenas de TV, tijolos, escadas, sofás velhos, escolha o que quiser! Procure problemas nos cantos e não ande junto à calçada, você está no
tráfego.

11. Carros entrando à esquerda ainda são os maiores assassinos de motociclistas
Não ache que o motorista vai esperar passarem todos os motociclistas antes de se enfiar à esquerda, não. Eles também estão tentando ser rápidos!

12. Cuidado com carros passando no vermelho
Os primeiros segundos após o sinal mudar são os mais perigosos. Olhe SEMPRE para os dois lados antes de cruzar o semáforo depois de
aberto.

13. Olhe os retrovisores
Olhe os espelhos retrovisores sempre que mudar de faixa, diminuir a velocidade ou parar. Esteja pronto para se mover se o outro veículo for ocupar o espaço onde você
está.

14. Deixe espaço na frente
No Brasil se anda sempre MUITO colado. A regra geral que se usa pelo mundo é de 3 segundos de distância do veículo da frente. Melhor ainda se você observar tudo que aparecer na sua frente para os próximos 12 segundos (no horizonte). Todos os seus problemas estão aí dentro desses
espaços.

15. Cuidado com os carros equipados
Eles são rápidos e seus motoristas são agressivos. Não imagine que você passou por ele e que está tudo resolvido, ele está logo aí atrás. Você pode acabar como um novo enfeite na grade frontal do carrão
dele.

16. Entrar em curvas em alta velocidade machuca
É a maior causa de acidentes com motociclistas sozinhos e em estradas sinuosas e pistas de corrida. “Entre devagar, saia rápido” é há muitos anos a regra dos campeões das
pistas.

17. Não acredite na eficiência da polícia florestal
Se na área onde você está podem aparecer animais, não vá pensar que a polícia rodoviária ou florestal vai conseguir tirar cada um deles da sua frente. Vá devagar, olhe para as margens da Estrada e fique
vivo.

18. Já está muito tarde para você começar a usar os dois freios
O dianteiro faz a maior parte da parada, mas um pouco de traseiro na entrada das curvas pode acalmar uma moto
nervosa.

19. Mantenha SEMPRE alguns dedos sobre o freio dianteiro
Economize um segundo no tempo de reação a 85 km/h e você pode parar 30 metros antes (e talvez até conseguir escapar do impacto). Pense nisso!

20. Olhe para sua trajetória
Use o milagre da fixação de objetivo em seu próprio benefício. As pesquisas mostram que a moto vai para onde você olha, então olhe para a solução no lugar de olhar para o
problema.

21. Mantenha seus olhos em movimento
O tráfego está sempre mudando. Portanto, continue sempre procurando por problemas. Não trave seus olhos em um só ponto por muito tempo, a menos que você esteja realmente em problemas
sérios.

22. Pense antes de agir
Avalie com cuidado a situação quando pensar em ultrapassar rapidinho aquele táxi está a 15 km/h numa área com limite de 60 km/h , ou você pode acabar com sua cabeça dentro do carro que virou à esquerda “DO NADA
”.

23. Não olhe para o chão – levante sua cabeça
É sempre tarde para fazer qualquer coisa quando o problema está a 10 metros . Olhe lá longe e mude a
direção.

24. Preste atenção em seu caminho
A maioria dos acidentes acontecem durante os primeiros 15 minutos de seu trajeto, abaixo de 60 km/h , em um cruzamento ou via secundária. É, exatamente, ali por onde você passa toda hora.

25. Pare totalmente em cada placa de “PARE

Isso, ponha seu pé no chão. Olhe de novo. Qualquer outra maneira de fazer isso pode forçar uma decisão imediata, sob pressão e sem tempo para identificar uma situação de
risco.

26. Nunca entre
às cegas num corredor de trânsito parado
Os carros devem estar parados por alguma boa razão, e você pode não vê-la até que seja tarde demais para fazer alguma coisa. Não ande a mais de 30 km/h acima da velocidade dos outros veículos. Se estiver a 40 km/h , você vai ver que cair no meio do trânsito não é assim tão
confortável.

27. Não abrace um urso!
Se você pesa 50 quilos,
por favor não tente rodar por aí em uma estradeira-monstro de 400 kilos! Se você tem só um metro e meio de altura, tem certeza que precisa uma altíssima big trail? Pega leve!
28. Procure pelas portas de carros que se abrem no tráfegoAcertar um carro que desvia de uma porta aberta é exatamente tão dolorido quanto o primeiro caso.

29. Não entre num vício de cruzamentos iguais
Procure placas de “PARE” mesmo depois de uma longa série de esquinas em preferência para você. Se você está imaginando que o tráfego vai parar pra você, vai acabar encarando uma surpresa no mínimo bem
dolorida.

30. Tenha espaço para se movimentar quando trafegar
Pilotar dentro de um amontoado grupo de motos é um bom jeito de acabar no meio do mato. Qualquer grupo de motos que valha a pena acompanhar terá um ponto de encontro marcado à frente para reencontrar os “desgarrados
”.

31. De tempo para seus olhos se acostumarem
Vá devagar e com farol baixo até que seus olhos se acostumem com a escuridão ao sair de lugares muito iluminados. Fechar um dos olhos até chegar ao local escuro também ajuda, senão você estará dirigindo às cegas por uns
2 quilômetros !

32. Domine a meia-volta
Pratique este retorno apertado até ficar bom. Ponha suas nádegas na beirada do banco no lado contrário à curva e deite a moto para dentro da curva, usando seu corpo como contrapeso enquanto gira em cima da roda traseira. É uma excelente manobra para não bater no carro da frente ou para escapar daquele bueiro sem
tampa.

33. Quem colocou uma placa “PARE” no meio dessa subida?
Não entre em pânico. Use o freio traseiro para manter a moto no lugar enquanto usa o acelerador e embreagem com atenção para sair sem
problemas.

34. Se parece escorregadio, então é mesmo!
Um trecho de chão suspeito pode ser só mais uma mancha. Manteiga? Cascalho? Óleo? Pode não ser nada, mas é melhor diminuir ANTES de pisar num
sabãozão. Se não era nada, melhor.

35. BUM
!!! Estouro de pneu! E agora?
Sem movimentos bruscos. A moto não estará feliz embaixo de você, então se prepare para usar um pouco de músculos para manter a trajetória. Alivie o acelerador e use o freio bem leve com a roda boa (traseira ou dianteira) e vá procurando a melhor direção para sair da pista. Agora, pode voltar a
respirar.

36. Pingos na viseira?
Começou a chover. O asfalto apenas umedecido é muito mais
escorregadio que depois de uma forte chuva tropical, e você nunca sabe o quanto ele está liso. Use máxima concentração, cuidado e suavidade nos controles.

37. Emocionado?
Já dizia o velho ditado: “Quando a cabeça não pensa, o corpo padece”. As emoções são tão fortes quanto qualquer droga, então observe a você mesmo quando for sair. Se você está nervoso, triste, exausto ou ansioso, sente e conte até 100
mil.

38. Vista roupas adequadas
Ponha roupas que sirvam bem em você e ao clima. Se você está com muito frio ou com muito calor ou brigando com uma jaqueta onde cabem dois de você, você já está em
problemas.

39. Deixe seu
iPod em casa
Você não vai ouvir o caminhão de cimento a tempo se estiver ouvindo a banda
Calipso. A única coisa que vai ficar atraente são seus fones de ouvido como brinde para o pessoal da SALA DE CIRURGIA.

40. Aprenda a fazer desvios de emergência
Esteja pronto para fazer dois desvios de emergência em seguida. Desvie de um obstáculo pela esquerda e logo em seguida de volta à sua trajetória original à direita, e vice-versa. A moto vai seguir seus olhos, portanto olhe para o caminho e não para os obstáculos. Pratique isso até que seja um reflexo normal, sem
pensar.

41. Seja suave em baixa velocidade
De nada adianta sua enorme agilidade se você estiver devagar. Tire as forças dos movimentos com um trabalho leve nos freios traseiros. Isso minimiza muito indesejáveis transferências de peso e inércia, e facilita alinhar e posicionar a moto exatamente onde e como
desejamos.

42. Piscar luz de freio é uma boa
As setas dos outros veículos te chamam a atenção porque piscam? Pisadinhas leves no pedal ou toques rápidos na
manete do freio dianteiro antes de realmente frear sua moto vai alertar o tráfego atrás.

43. Cruzamentos são perigosos, então garanta suas chances
Ponha outro veículo imaginário entre sua moto e o veículo à frente para evitar que outro veículo cruzando acerte você bem de lado. Diminua, assim, pela metade a chance de
acidentes.

44. Ajuste sua visão periférica
Olhe para um ponto bem à sua frente. Agora procure ver as coisas ao seu lado movendo apenas sua atenção, sem mover os olhos. Quanto mais você conseguir ver sem virar os olhos ou a cabeça, mais cedo vai reagir aos
problemas.

45. Sozinho num semáforo que não muda nunca?
Se for um semáforo inteligente, você pode mudá-lo! Procure um fio sensor de presença antes da faixa de pedestre (um quadrado riscado em preto no chão) e posicione o motor da moto em cima dele (o sensor tem um campo magnético). Se o semáforo não mudar, baixe o descanso lateral bem sobre o fio, que as suas chances de mudá-lo para verde vão melhorar. Se não der, relaxe e espere, você já tentou de
tudo…

46. É mais difícil ver à noite
Ajuste e limpe seus faróis e viseiras transparentes e tenha uma visão melhor do que uma simples idéia do que está ali na frente. Ao anoitecer, troque viseiras escuras pelas
transparentes.

47. Não trafegue perto ou ao lado de caminhões
Se um daqueles 18 pneus monstruosos
estourar — o que acontece com BASTANTE FREQÜÊNCIA – ele vai se transformar em vários projéteis de borracha e aço violentíssimos. A não ser que você goste de brigar com uma chuva de destroços, fique longe ou passe logo por ele.

48. Tire o pânico das paradas de emergência
Desenvolva uma intimidade muito grande com seu freio dianteiro. Procure um lugar deserto e seguro em asfalto liso e limpo. Faça centenas de frenagens começando bem suavemente e freando cada vez mais forte até descobrir aquela força na mão ideal entre a frenagem máxima e a roda travada (frenagem máxima = pneus
CANTAM ligeiramente, mas a roda NÃO TRAVA). Repita isso com cuidado MUITAS vezes até ficar muito bom. Pronto.

49. Tenha pneus adequados
Nada do que você leu até aqui vai servir a não ser que você tenha os pneus adequados. Não os subestime. Tenha certeza que eles estão bem calibrados todo tempo. Procure cortes, pregos e outras porcarias que tenham se prendido a eles. Procure sinais de
ressecamento e desgaste. Troque logo que puder, os pneus são a essência da dirigibilidade. E não use pneus de marcas diferentes ou novo com usado na dianteira e na traseira, isso muda completamente a estabilidade da moto.

50. Respire fundo Conte até 10. OU até 100.
Desculpe e peça desculpas, dê passagem e vá devagar, apreciando o passeio. Deixar de andar a 130 km/h e
demorar para chegar é muito melhor que arruinar sua vida e ir para uma cadeira de rodas ou um caixão

Autor desconhecido.

12.3 - Antes e durante a viagem
Escrito por Rômulo Provetti. Publicado em Dicas

Piloto Antes de pegar a estrada faça um check list na moto, para evitar surpresas. Lubrifique a corrente. Confira o nível do óleo. Confira as luzes. Calibre os pneus frios. Leve seu kit de ferramentas, contendo Silver tape, reparador de pneus, abraçadeiras plásticas . ( também conhecidas como estrangula gato )… sic

Calcule sempre a distância a percorrer e a autonomia da moto.
Não espere chegar na reserva para abastecer, o próximo posto poderá estar a muitos quilometros a frente. Melhor previnir.


Respeite os limites da garupa, preocupe se com o seu bem estar, sempre pergunte se quer parar um pouco .
Fazer exercícios de alongamento antes, entre as paradas depois dos passeios, ajudam muito e evitam caímbras.

Viseiras escuras ou espelhadas a noite atrapalham, além de serem proibidas…Em caso de chuvas, e na falta de produtos antienbaçante, passar detergente neutro na viseira, ajuda.

Sua segurança depende do seu equipamento, portanto, pilote sempre equipado (jaqueta, luvas, botas, capacete fechado)A jaqueta ter bolsos externos com zipers, ajuda e muito.
Seja cordial com os motoristas, assim mostramos que somos educados,
lembre que toda ação gera uma reação…
Em estradas de terra ou areia baixe a calibragem dos pneus e tome cuidado nas curvas.
Em caso de chuva aumente a atenção e diminua a velocidade, cuidado com a pista, pois estará escorregadia.
Caso a estrada que estiver rodando cobre pedágio ( acho isso um absurdo ), deixe o dinheiro com a garupa, assim ficará mais fácil, para pagar e não terá que ficar tirando luvas e abrindo zíperes. ( pode ter alguém dentro de um carro impaciente atrás e querer apressa lo ).


Garupa

Faça sempre um check list das coisas importantes que não podem faltar.
Agasalho demais, incomoda e pode dar sono.
Faça exercícios de alongamento antes, durante ( nas paradas ) e depois dos passeios.
Deixe os documentos, cartões de banco sempre no bolso da jaqueta.
Mantenha o dinheiro do pedágio em um bolso de fácil acesso, para tornar as coisas mais fáceis.
Leve sempre prendedores de cabelos sobressalentes (para quem tem cabelos longos)
Se o cabelo for longo, procure deixa lo dentro do capacete ou por dentro da jaqueta.
Leve a Máquina fotográfica no bolso externo da jaqueta, ou pendurada no pescoço, isso facilita e você nunca perderá aquele momento especial.
Ao manipular a máquina mantenha a tira ou alça da câmera , no pescoço ou presa a mão, para evitar surpresas como a câmera cair.
Caso não tenha intercomunicador, combine alguns sinais, isso aumenta a segurança.
Sempre que subir ou descer da moto, avise , pois assim evita de vocês não serem motivos de risos. ( muita gente já caiu desse jeito ). sic
Evite se mexer, falar ou sinalizar em curvas ou ultrapassagens.
Leve sempre a roupa de chuva, mantenha sempre a mão, para a hora que precisar, não ter que ficar procurando.
Use sempre roupas apropriadas (jaqueta, luvas, botas, capacete), já ví casos de estarem de sandalinha ou rasteirinha, fora as pedrinhas que podem bater no pé , acho isso um perigo em caso de queda.

O que levar:

  • Kit de 1º socorros
  • Lanterna ( nunca se sabe)
  • Repelente
  • Bloqueador solar
  • Óculos de sol
  • Canivete Multiuso
  • Guias e mapas ( se não tiver o GPS)
  • Ferramentas
  • Reparador de Pneus
  • Fita Silver Tape
  • Fita isolante
  • Celular
  • Aranha ( Elástico de prender objetos )
  • Fusíveis sobressalente
  • Lâmpadas sobressalente ( 1 polo e dois polos )

 

 

12.4 - Deixei a moto cair. E agora?
Escrito por Rômulo Provetti. Publicado em Dicas
Você está numa super viagem de moto, sozinho ou com sua esposa na garupa, passa por uma paisagem maravilhosa e resolve parar para tirar "a" foto da viagem. Nem bem diminuiu a velocidade já vai pensando qual o melhor ângulo, qual ajuste vai usar na câmera e como a foto será admirada pelos amigos. Daí esquece de planejar a parada, não vê um ressalto, uma pedra, descuida do descanso e lá vai a moto para o chão.
O primeiro pensamentos é para os danos que a moto pode ter sofrido. Depois você olha para os lados pensando em quem pode ter visto o seu “mico”. Aí percebe que está sozinho ou no máximo com a esposa “mignon” e lembra que a moto pesa com a bagagem bem mais que 300 kg. Putz!!! Como uma pessoa de 80 kg vai levantar algo que pesa quase quatro vezes mais? O que fazer agora?
Muita gente entra em desespero, senta no chão e chora. Outros começam a desmontar a bagagem pensando que isto vai diminuir um pouco o peso e as dores nas costas que com certeza virão depois.
Calma!!! Existe uma técnica muito simples para levantar uma moto pesada, que até sua esposa “mignon” consegue executar sozinha, sem exigir da coluna mais do que ela aguenta. Ela é ensinada em treinamentos realizados pelas montadoras (sei que a BMW e a Harley-Davidson incluem esta técnica em seus cursos Riders).

Fiz uma compilação de informações que encontrei em diversos sites da internet para que este artigo fique o mais completo possível.
Etapa 1: avalie-se
Dedique alguns minutos para se acalmar. Ver sua moto deitada no chão pode ser uma experiência traumática, mas isso acontece com todo mundo pelo menos uma vez.

Dedique alguns minutos para fazer perguntas a si mesmo: você está machucado? É capaz de levantar sua moto em uma situação normal? Quer levantar a sua moto? Tem algum problema de saúde, como por exemplo na coluna?
Dedique alguns minutos para relaxar e apreciar a situação: seria melhor se conseguisse ajuda. E se alguém vier te ajudar, não se esqueça de avisar para não tocar no escape quente, não tentar levantar a moto apoiando em peças frágeis, etc. Certifique-se também que quem está te ajudando o está fazendo corretamente. Você não vai querer que alguém se machuque não é mesmo?
Passo 2: Avalie o Ambiente
Se a moto tombou em um local de tráfego intenso e perigoso e onde algum veículo pode vir a te atropelar, deixe a moto no chão e procure um lugar seguro enquanto aguarda ajuda ou enquanto avalia se é possível sinalizar o local.
Procure observar a legislação e as regras de segurança antes de tentar levantar sua moto.
Dê uma olhada para o chão: você tem uma superfície firme para levantar a moto? É de cascalho? Se for, raspe o cascalho debaixo dos pneus e de onde você vai colocar os pés para fornecer tração. É asfalto molhado? A moto está ao lado de uma vala? Existe um aclive ou declive acentuado?
Avalie se não há a possibilidade da moto rolar morro abaixo, aumentando o estrago ou você escorregar e ficar preso sob ela.
Passo 3: Avalie a Moto
  • Desligue o motor utilizando o interruptor de partida elétrica ou a chave de ignição.
  • Desligue o combustível usando a válvula de alimentação de combustível, se houver.
  • É comum derramar combustível nesta situação. Embora seja necessária uma faísca, chama ou fonte de ignição para que ocorra um incêndio ou explosão, tenha cuidado.
  • Se a moto está deitada sobre o lado direito, coloque o descanso lateral para baixo e engate uma marcha para evitar que ela se movimente.

Faça uma anotação mental desses fatos. Você não vai querer levantar sua moto e logo em seguida fazê-la cair do outro lado!
Técnica para levantar a moto:

A técnica ensina a utilizar os maiores e mais fortes músculos que nós temos, os músculos das pernas. O segredo para levantar uma moto grande é que você deve empurrar em vez de levantar
1 - Se a moto estiver deitada sobre o lado direito, como a segunda foto ao lado, o descanso lateral deve ficar levantado. Se ela estiver deitada sobre o lado esquerdo, ele precisa necessariamente estar recolhido.
2 - Gire o guidão de modo que a frente do pneu esteja apontando para baixo. Se possível, trave a direção nesta posição.
3 - Encontre o "ponto de equilíbrio" dos dois pneus, do motor, protetor de motor ou pedaleiras. Será mais fácil levantar a moto se a parte abaixo deste ponto estiver apoiada no chão. Se a moto estiver inclinada mais de 45 graus, você vai ter que levantar um pouco no início. Quanto menor o ângulo de inclinação com a vertical, mais fácil fica colocar a moto de pé. Por isso, os primeiros centímetros vão ser os mais difíceis.
4 - Encoste sua bunda (não as costas) na lateral do assento. Olhando para longe da moto, posicione-se para deixar somente a metade de baixo da bunda encostada no assento. Seus pés devem estar afastados não mais do que a linha dos ombros, e plantados FIRMES no solo. Os joelhos, dobrados de 40 a 50 graus. Mais do que isso e vai ficar muito difícil endireitá-los. Tenha muito cuidado para manter as costas retas e a cabeça para cima.
5 - Com uma mão, segure firmemente o punho.
6 - Com a outra mão, segure o quadro da motocicleta (ou qualquer parte sólida da moto), tendo o cuidado para evitar o escape, peças de plástico ou frágeis.
7 - Levante com as pernas e dê pequenos passos para trás, empurrando o banco com a bunda e mantendo as costas retas. Em superfícies escorregadias ou com cascalho você vai ter mais dificuldade para aplicar esta técnica. Em superfícies inclinadas pode ser até perigoso.
8 - Tenha cuidado para não levantar a moto e depois deixá-la cair para o outro lado!
9 - Se a moto estava caída sobre o lado esquerdo, com um pé, abaixe o descanso lateral e recoste a moto sobre este. Se estava caída sobre o lado direito, você abaixou o descanso antes de começar a levantar. Neste caso, ao se aproximar da vertical, vá empurrando devagar e continue até encostar o apoio no chão.


Abaixo, dois vídeos que mostram o processo de forma bem detalhada. Não se engane com a aparência das duas motos usadas. Ambas pesam mais de 250 kg. No Youtube é possível encontrar dezenas de vídeos que ensinam a mesma técnica aplicada a vários modelos e marcas de motos diferentes. Basta consultar utilizando o termo "How to pick up a motorcycle".




video



E lembre-se: Levantar uma moto pode ser perigoso e causar lesões graves se for feito de forma incorreta. Você precisa pensar com clareza, usar o bom senso, e estar em boas condições físicas. Mantenha seu corpo e as costas retas, e faça força só com as pernas. Mantenha o controle da moto e nunca vire o corpo ao levantar. Verifique se não ocorreram danos na moto antes de retornar para sua viagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário